Is the Canon EOS M5 a danger to Nikon?

canon-eos-m5

It took Canon 4 (There is no Canon EOS M4) iterations of the M camera to make finally something that on paper looks a great camera. Had Canon failed (again) and I wouldn’t be worrying about Nikon, but if Canon has success with camera I don’t know what Nikon is doing with its 1 series, that I just find awful.

In my modest opinion Nikon should convert the entry level DSLR D3xxx series (with a D3400 just announced pre-Photokina) into a mirrorless camera. Make it in a way that it uses the same sensor and same technology of the lineup, but remove the mirror. Start by trimming the body to a mirrorless shape, create a couple of good lenses for the system, and give an adapter for the existing lenses. That would be a great way for Nikon to enter, really enter, the mirrorless camera market in a time when the Canon EOS M5 might start annoying some executives at Nikon headquarters.

A final Portugal-França — a Vitória!

Não há muito a dizer neste último comentário. Apenas que GANHAMOS E SOMOS CAMPEÕES EUROPEUS. Mas ainda assim algumas notas:

  • Como tinha pensado na última entrada, o cansaço acumulado da selecção francesa foi determinante. Fernando Santos acabou por fazer uma gestão dos minutos que ajudou Portugal (apesar dos 3 prolongamentos) a ter mais frescura física.
  • A França não joga nada. Ou pelo menos não foi tão equipa como Portugal. Os momentos franceses resultaram de acções individuais. Arrancadas possantes do meio campo e pouco mais. Houve muito pouco jogo colectivo na França — muito por culpa da forma de jogar portuguesa e o mérito é do Fernando Santos. Por outro lado a violência dos jogadores franceses faz lembrar os “Panzers” de uma Alemanha que já não joga assim. O futebol francês precisa reinventar-se em vez de seguir estes caminhos. E resta ainda saber que falta fez Benzema? Mas não vou meter a foice em seara alheia. Azar o deles, proveito o nosso.
  • Há uma pequena farpa para lançar ainda “E tu Leo? E tu Zlatan?”
  • Fernando Santos. Casmurro, teimoso, mas acima de tudo muito inteligente. E se é claro que por vezes eu gostaria de ver a selecção a jogar de outra forma, ele sabe levar a água ao seu moinho. Não estaríamos certamente à espera de ver Portugal a jogar de forma autoritária como a Alemanha pois não? Fernando Santos sabe o que queria fazer e conseguiu-o. Portugal tem agora uma equipa e uma identidade. Trabalhadora, solidária e honesta. Pode não ser bonita, pode não marcar muitos golos, mas deixou de ser Cristiano e mais 10. Só por isso valeu a pena. Agora com o título valeu muito mais.
  • E por fim, àqueles que foram lendo estes comentários, obrigado pela paciência e

SOMOS CAMPEÕES EUROPEUS

A final Portugal-França — O Cansaço!

Minutos Jogados por Portugal e pela França

Um dos factores que muito se tem falado tem a ver com o cansaço do jogadores. Será que vai ser um factor decisivo na final do Europeu? A verdade é que Portugal e França são muito semelhantes na utilização de jogadores neste Europeu 2016 (com algumas diferenças).

Portugal tem 3 jogadores com mais minutos nas pernas que a França — Cristiano Ronaldo, Rui Patrício e Nani — por fruto dos dois prolongamentos, mas entre as posições 4–10 of jogadores franceses tem mais minutos nas pernas. A partir daqui novamente Portugal volta a ter jogadores com mais minutos que a França.

A figura mostra que apesar dos dois prolongamentos há um gestão mais alargada dos minutos da selecção nacional. Em parte por causa das lesões e outra pela procura do Fernando Santos em encontrar um 11 estável. Moutinho começou e saiu, Renato entrou. Ricardo Carvalho deu o lugar ao José Fonte. E ainda há os casos dos laterais e dos trincos. Enfim, a selecção nacional foi sofrendo ao longo do europeu uma série de ajustes.

Por outro lado a França tem uma equipa mais regular, sendo que a rotação de jogadores não é tão pronunciada. Poderá ser uma vantagem para nós, mas a gestão dos minutos terá que ser bem feita, até porque o Cristiano e o Nani estão com muitos minutos nas pernas.

Já agora a grande surpresa desta análise é o Quaresma. O Mustang tem apenas 191 minutos e atrás dele só estão o Bruno Alves (90), o Éder (13) e o Rafa Silva (1). Dá que PENSAR! Talvez possa ser uma boa ARMA QUASE SECRETA para a Final.

Graphene Batteries. Maybe the future?

I’ve been a bit sceptic about electric cars getting massive adoption in the next few years because of the battery technology. I believe that you’ll need at least a 10 fold increase in capacity per litter and cost before you’ll see true massive adoption of the electric car.

If you look at the electric car, the limiting factor — or the critical factor if you prefer — is the power source. How to store and charge the batteries. Until now if you really want to be willful you can be an early adopter but waiting at least 30 minutes for a 80% charge is not going to cut it in a world where fueling takes 2 minutes at the petrol station.

Now, researchers at UCLA announced that they developed a new kind of battery made of Graphene, that charges much faster than anything previously invented. The technology would allow a MacBook Pro to charge in just 30 second. AMAZING.

Now they’ve made this announcement and are basically looking for funding. I haven’t read the publications they produced, and this might end up being an hoax. Or, due to some technical impossibility impossible to market. They naturally sell it beautifully and being all marvels in the elevator pitch but globally there are many hurdles before such a wonderful super-capacitor could be in the market.

Quando se ganha é mais difícil dizer mal…

E mesmo vencendo é sempre possível melhorar. A selecção continua a mostrar alguma fraqueza, principalmente no toca a controlar o meio campo, mas se a solidariedade defensiva é notória o ataque é manifestamente parco.

Uns dirão que é defeito outros que é feitio do Fernando Santos. Solidez e depois logo se vê o que se conquista. Talvez o Fernando Santos esteja correcto e uma selecção, não sendo um clube e não tendo o tempo de preparação que os clubes têm, talvez deva ser isto mesmo, uma solidez defensiva onde o que se puder construir ofensivamente virá com o tempo — E talvez por isso a selecção esteja a jogar melhor a cada jogo que passa.

Por falar em solidez, no meio campo gostei de ver o Danilo que acho ser melhor que o William Carvalho e continuo a achar que o João Mário podia ser 10x melhor do que ê se trabalhasse mais e fosse um pouco mais humilde.

A nossa defesa foi um susto que não se concretizou, até porque o Bruno Alves não partiu a cabeça a ninguém e consegui não se expulsar — só isso vale logo pontos. Continuo a dizer que este Raphael Guerreiro é do melhor que lá temos neste europeu e o Cédric também cumpriu, muito embora alguém lhe deva dizer que chutar a 40m da baliza é só para o CR7 e que nem assim tem funcionado.

E no ataque, vi um Cristiano mais solto e veloz que nos primeiros jogos. Com mais mobilidade e energia, o que de certa forma justifica o seu melhor rendimento. O Nani… pois. A impulsão do Cristiano é simplesmente brutal.

Suplentes de luxo. Até o Moutinho ajudou (se bem que continua a estar muito bem no banco para a final). E o Quaresma está um senhor.


 

Por fim, Alemanha ou França para logo à noite? Indiferente. Seja quem for que chegue já se sabe que se fizerem um penaltie sobre um jogador português o árbitro vai marcar ao contrário, que se a bola entrar, o golo vai ser anulado. Para uma equipa que não joga nada os árbitros tem andado muito preocupados em garantir que Portugal não joga mesmo nada. Mas “sonhar é grátis”. Até Domingo!

Facebook in Paris without a tablet

Facebook to translate posts into different languages AUTOMATICALLY

Well, AUTOMATICALLY is the interesting aspect of all this. Not because the capability is there, but because it has some ethical aspects to it. Why should something be able to do that? What if I post a Portuguese poem? How is FB going to translate Shakespeare?

Naturally 99% of what is posted on FB is irrelevant and could be translated for ease of comprehension. But in any case the way a translation is made can have a great impact on the perceived message. Great translators can capture the aesthetic of the original and sometimes paraphrase to capture the play of words.

Facebook can’t do any of these subjective things. FB is not going to achieve anything else other than sterile translations. And for the cases where you could express something other than words … well don’t share on social media. Read, enjoy, write.

Paris oldies

Paris decided to ban old cars. Not the classics, just the old, polluting cars. Anything pre 1997 can’t circulate from 8am to 8pm. Well, me owning a 1998 car, makes me wonder if I should start thinking about replacing mine. Anyway Lisbon is starting to become a bit claustrophobic for cars anyway.

Are tablets dead?

I’ve been looking at my iPad sitting in the shelf for so much time that I started to wonder if tablets are becoming a type of XXI century CD. Very hyped in the beginning but suddenly no one want’s to use them anymore?

I went to see my website statistics and smartphone visits beat tablets 6:1, so is there a reason for this or is it just an outlier? Maybe with all the big screen smartphones no one wants to lug around a tablet anymore.

Ao 5 empate Bayern 2–Resto do mundo 0

O Português é um tipo teimoso, que é incapaz de mudar de rumo mesmo que na sua frente esteja um iceberg, e chama a essa teimosia “persistência”, “acreditar”, “fé”.

O Fernando Santos é um desses Portugueses. Tem uma fé inabalável numa forma de jogar que tem mostrado um futebol um tanto ou quanto chato, mas relativamente seguro. Bem seguro a defender, inócuo a atacar.

As mudanças a este sistema são sempre em pequenas etapas, em pequenos acidentes, fruto dos azares de uns, da revelação de outros.

Finalmente tivemos o Renato Sanches a titular e que titular. Aliás o Renato Sanches foi sem dúvida muito bom enquanto o vagabundeou pelo meio campo, antes do Fernando Santo o prender a médio direito neste 4-4-2.

O Quaresma é uma bela arma secreta, que sem ser secreta continua a dar um pouco de alma a uma selecção que deixou a inspiração no autocarro.

O Cristiano. COMO É POSSÍVEL FALHAR AQUELES DOIS GOLOS. Está claramente em baixa de forma e não fosse o peso que tem e a atenção que força os adversários a ter e seria relegado para o banco como o Moutinho. Moutinho que mais uma vez entrou e nada fez senão passes para o lado.

Os penalties! Marcamos cinco em cinco e o escalonamento foi uma das decisões mais acertadas dos últimos tempos. As crianças nervosas no princípio, os veteranos iceberg no fim. Claramente foi jogada de mestre percebe que o estado de ansiedade em que anda o CR7 não dava para ele marcar no fim.

E por falar nos penalties o Rui Patrício fez talvez o melhor jogo do Europeu — embora seja verdade que não teve nenhum jogo mau, até nos 3 golos Hungria esteve isento de culpas.

A Polónia poderia ter sido mais perigosa. Poderia, mas veio tarde. Esteve muito confiante que poderia ganhar nos penalties e andou a empatar o jogo durante muito tempo. Mas como se diz por cá “quem com ferro mata, com ferro morre”.

Bem, e agora faltam 2 jogos, que se formos teimosos, e somos, vão dar dois empates. Mas até lá o Fernando Santos provou que com 5 empates consegue-se estar entre as 4 melhores equipas da Europa. Se isto não é um sinal de alarme para a comissão de regras de futebol não sei não.

What does football, Brexit and my kitchen have in common?

After loosing to Chile (second time in a row), the second best player in the world doesn’t want to play anymore for his country at the age of 29 (after four lost finals). Maybe there was some problem with the money suitcase travelling to the Cayman islands, but in any case Argentina loses big time and probably only Adidas and Barcelona can call themselves winners in this strange decision.

Back to Brexit, when you have Sarah Palin, Putin, Trump, and Iran, all congratulating the Leave you know you have a problem in your hands. Britain has made one of those mistakes that will take 50 years to overturn, unless politicians ACT NOW.

And still in the UK, finally, scientists are waking from their lethargic lab experiments to the realisation that there won’t be much funding after Brexit after all. And if there is a class of workers that can smell the lack of funding a mile way… that’s us scientists. SHOW ME THE CHEESE.

Robots

I love them, thing that they’ll be great in the future, but I don’t understand this quest to make robots resemble mammals — humans, dogs, unicorns… The latest from Boston Dynamics is the epitome of absurdity. A robot-dog doing the dishes… And while they have some sense of humor showing the hurdles that robotics still has to overcome at the end of the video, these four legged versions are reaching the end of interestingness (maybe that’s why Google wants to sell the company).

The interesting part of robotics is not the development of Hardware, but software, mainly “brains”. And brains are algorithms, are neural networks, are simulations, new computation forms, inverse kinematics, and so on. Probably this platform has already reached its limit and is time to move on. For me a robot is something on this software side of the viewpoint. Tesla’s autopilot makes the car a kind of robot, and a very capable one. It doesn’t need to look like a whale to do drive.

and the answer to the question is NOTHING

E ao quarto empate… Portugal ganhou.

Tudo neste último jogo foi diferente dos anteriores, apesar do empate — nos 90 minutos.

No jogo do mata-mata não há espaços para recuperações milagrosas como as do jogo com a Hungria. Fernando Santos sabia-o e colocou uma equipa mais sólida defensivamente. Que antes de ganhar o jogo sabia que não o podia perder infantilmente — e sabe-se o quão infantil são alguns dos golos sofridos por Portugal.

Voltou o Raphael Guerreiro que está a jogar muito bem. Saiu o Moutinho que está a passar ao lado do Europeu e também o Vieirinha — finalmente. E se para mim a dúvida entre o Adrien ou o Renato penderia para o Renato Sanches, também compreendo que na lógica do primeiro parágrafo o Adrien fosse o escolhido. E secou muito aquele meio campo croata, principalmente Modric.

Quanto ao desenrolar do jogo, claro está que Fernando Santos percebeu aquilo que já tinha dito. Portugal tem muitas deficiências e não pode pensar que vai impor o seu futebol a quem quer que lhe apareça pela frente.

Tem que jogar na matreirice, na oportunidade do contra-ataque. O Cristiano Ronaldo vai ter muito poucas oportunidades de rematar. Tudo terá que ser mais eficiente. Jogar à italiana. Defender, correr, marcar.

E entre o 4-4-2 ou o 4-3-3, parece que a “geringonça” de Fernando Santos vai funcionando, se bem que por momentos a equipa pareça um pouco perdida no que fazer.

A Polónia é o adversário que se segue e novas dificuldades surgirão no cardápio. Mas isso é só na próxima quinta-feira. Até lá há que descansar as pernas — e a Polónia também teve prolongamento — e acreditar até ao fim que o Mustang poderá novamente tirar um coelho da cartola.

JASP or not to JASP? Bayesian statistical methods for free.

There are two ways of doing statistical analysis. One that I call the Excel approach and the other that I call the Experts approach.

The idea is that you use the former if you are a mouse user, and like to point and click at things without really understanding what is happening (and without much control either).

The latter is used by those who want finer control over the outputs, usually requiring some understanding of the theoretical aspects of the analysis, and requiring a lot more punching of the keyboard.

All this introduction comes from the fact that I’ve been experimenting a statistics software called JASP that aims to be a small statistics software — ‘an alternative to SPSS’ — that fall in the realm of Excel users but has the power of Experts underneath.

JASP has only a few, well… FOUR, categories of analysis — t-tests, anova, regression, and frequencies — and this is probably fine for most of the use cases. I find it particularly interesting for EDA (Exploratory Data Analysis) where you just want to get a feeling for the data your working with.

Everything is very visual and done with the mouse, from loading data, to clicking through the options of the analysis you want to perform.

The output is beautiful but limited to HTML with the images embedded as png data:uris. It would be great to export the results for use in academic papers — eps or pdfs would be great for LaTeX. This makes JASP a little limiting.

In any case JASP is still in its infancy, and probably will evolve rapidly. As for exploratory data analysis software there are alternatives. One of my favorites is Mondrian. Mondrian is old — started in 1997, lates stable if from 2011 and latest beta is from 2013 — and doesn’t have the beautiful graphics of JASP — but, sometimes simple things are the best.

The cool thing about JASP is that all the clicks and clanks are just a way to pass parameter to R functions. The backend is R and therefore you can do everything the hard way if you really need to improve on the existing functions. For example, sometimes you need to make your plot scales logarithmic. There is no way to do that in JASP but if you use the R function underlying it… you solve your problem — and you can export PDFs for paper production.

The R scripts that power JASP are available at Github, meaning that if you want to use them in your own advanced work in R just go ahead and read them.

The British Strike OUT. What a mistake they made!

Well, the chances where there, the clowns were out, the stupidity made them blind, and now BRITAIN VOTED OUT. This might be the biggest face changing in Europe since WWII and we all will have privileged seats to watch/or be part of/ whatever you prefer.

The late Iain Banks, one of Britain best writers of the late XX/early XXI centuries, summed the discussion at hand.

Iain Banks quote

Today I’m seeing a lot of people anger now that the remain lost. They are all scratching their heads and thinking how was this possible. Edward Snowden put it best:

Letting a society go into a spiral of discussing stupid ideas results in stupid decisions. That is something that Serge Galam showed with his voting models in a theoretical viewpoint.

The British will have to pay for this adventure. They are already paying in some sense because the Sterling Pound immediately collapsed:

Sterling Pound Collapses after results

I’m a great defender of change. Change, like the great Portuguese poet Camões once said the world is change, which forever takes on new qualities, [Todo o mundo é composto do mudança,//Tomando sempre novas qualidades], drives the world. But not when it sends your country into a deadlock.

The EU failed Europeans because they didn’t change. They imposed power in a top-down manner and this is forcing EU nations to change in unpredictable and radical ways and like Britain letting countries go into a spiral of nationalism that reminds the ideas of the post WWI that lead to WWII.

Speaking of which, the Guardian has a science podcast about find new planets. Anyone that is in shock might start searching for a space ship out of the planet. Well at least out of the island, but I suspect that the ones running for their CVs are those in Brussels.

Portugal e a tática do 3-3-3-3?

Pois é, e não estou a falar do resultado. Esta selecção mete-se em alhadas não porque quer, mas porque tem ali meia dúzia de nabos que nem num batatal saberiam apanhar a hortaliça.

Foram 3 erros de defesas que deram origem a 3 livres e de 3 livres surgiram 3 golos Húngaros. Porquê tanta azelhice? Eliseu? Mas que jogo para esquecer. E o disparate foi tanto que até o Ricardo Carvalho fez asneiras.

Mas 3 golos de lances de bola parada por burrices de defesas previamente… Vamos ser a delícia da Croácia.

Finalmente parece que o Fernando Santos viu que o Moutinho está a passar ao lado deste europeu. Gostei finalmente do William Carvalho e honestamente não percebo a invenção do Danilo a jogar lado a lado, mas pode ser que funcione, pode ser.

E claro que o Nani já se viu que só funciona 45 minutos e que depois desaparece. O Quaresma continua a mexer na equipa — quando joga — e o Renato Sanches devia ter mais minutos. Mas eu que não percebo nada de futebol QUE RAIO SEI EU?

Agora no mata mata a coisa pode ser uma de duas desgraças. Ou se perde ou se vêm embora. E apesar de compreender a lógica de querer ficar no “lado bom” do quadro dos oitavos, este lado é o lado que vai dar problemas a Portugal que não sabe jogar contra equipas fechadas e defensivas. No outro lado do quadro a Inglaterra poderia dar mais espaços…

E por fim a Croácia-Portugal no Sábado às 20h, ou será o nosso fim? — Só tenho uma dúvida: Quem vai marcar o Modric? é que a velocidade do rapaz é demais para os nossos 6, seja William, Danilo, Moutinho ou outro qualquer. Acho que vou ter que comprar uma caixa para azia que a tática vai ser um 31.

O preço das casas sobe em Lisboa

Segundo um relatório — e ultimamente todo o jornalismo parece provir de relatórios. Será que ainda há jornalistas à antiga, que vão para a rua, que fazem perguntas? — mas como dizia, segundo um relatório, vendem-se mais casas em Lisboa e mais caras.

Vendem-se e a cidade está mais cara. Se tanto dinheiro está a entrar a rodos, porque é que os lisboetas não estão a tirar partido disso?

Para além do mais ir à baixa da cidade tornou-se insuportável com tanto japonês desembarcado dos paquetes atracados no rio e tanto tuk tuk a tentar levá-los para onde possam clickar os postais que viram quando reservaram a viagem.

DIVAGANDO

Apre. Não, não estou contra o turismo, mas temo que a gentrificação do centro leve a um nivelamento por baixo da qualidade das casas em Lisboa.

E isto claro tem a ver com as novas centralizadas de Lisboa. É preciso potenciar o crescimento de zonas mais afastadas da cidade. Tornar outras zonas atractivas. Claro que a mobilidade forçada dos Lisboetas acabará por fazer parte do trabalho, mas seria interessante ver mais iniciativas para que tal acontecesse.

Tradicionalmente as câmaras municipais tem visões extremas das hierarquias da cidade. No topo as elites são privilegiadas — e por elites hoje em dia estamos a falar das corporações e não tanto dos particulares — pelas câmaras, por causa dos investimentos que trazem.

No outro extremo as câmaras querem votos e atacam os problemas de pobreza — muito de vez em quando — criando bairros sociais de custos controlados. Tendo apenas estas duas visões, extremam-se os antagonismos da cidade entre as zonas ricas e as zonas pobres.

Em Lisboa basta pensar nos dois eixos que ligam à Baixa. O da avenida da Liberdade e o da Almirante Reis para perceber que há tios e enteados. A proposta de revitalização do Intendente ficou-se por ali.

Como as gentes de Arroios perceberam “espalhou-se a m**** avenida acima”, mas fundamentalmente para além da proposta inicial este eixo continua a ser descurado pela autarquia comparativamente aos outros. Este e tantos outros.

APFS might be the best new thing in macOS Sierra

I’ve long forgotten to watch Apple keynotes because honestly … they don’t present much these days and my time is very valuable to be sitting for 90 minutes watching promotional material. BUT, in the latest presentation of the future operating system there was something that catched my attention: THE NEW FILE SYSTEM. Apple has been developing it for the past 3 years — making it very young and immature — but it is clearly an attempt to make something modern that goes beyond the HFS+ now on macs. It is good that Apple finally decided to move forward, it is a pity that — in good apple tradition — they did not chose to use open source, but in the end, Mac users will get something better at the next OS that is not just some Bling. REAL TECH. That has to be good, right?

Portugal e as contas do futebol

  • Depois do jogo de ontem fica patente que há algo de muito errado na PSICOLOGIA dos jogadores Portugueses. Não é possível ser sistematicamente a selecção que MAIS REMATA E NÃO MARCA. A probabilidade de isto ser um outlier começa a ser mais pequena que um feijão. Ainda por cima quando estes jogadores até não têm problemas de marcar golos pelos clubes onde actuam. Ora isto quer dizer que algo está a ser mal conduzido na preparação psicológica dos jogadores quando estão na selecção. Os níveis de ansiedade são altíssimos e é sabido que stress dá impotência, aqui no caso seca de golos. Talvez seja altura de falarem com o Paulo Futre a ver se lhes arranjam uns pacotinhos de Libidum Fast.
  • Repito-me, mas aos 38 anos este Ricardo Carvalho não sabe jogar mal, apesar de naturalmente estar mais lento, tem uma inteligência fenomenal e é o que permite que o Raphael Guerreiro seja quem mais esteja a beneficiar de um Europeu revelador.
  • Volto a repetir-me, o Quaresma é de início. Não aguenta mais do que 60 minutos, mas são 60 minutos em que os adversários nunca sabem o que vai sair dos pés dele. Há que o aproveitar melhor.
  • O nosso meio campo é uma nódoa. Moutinho, William ou André Gomes são jogadores de receber e passar, receber e passar, receber e … ó homens, corram com a bola quando tem espaço pela frente. Por isso é que continuo a dizer que o Renato Sanches devia jogar de início a fazer de Rui Costa a levar a bola quando tem espaço para a frente em vez de jogar para os lados.
  • Quanto a contas, bem lá serão as do costume. Tudo de papel e lápis na mão para ver se dá. E era esta a selecção que ia ganhar o Euro quando se foram banquetear em Belém. O Português também acredita em qualquer patranha que lhe contem, desde que haja festa.